Mostrar Categorias

Quais são as escalas musicais?

Marianna Soter
Marianna Soter

Já parou para pensar em quantas vezes você ouviu música essa semana? Tem pessoas que escutam músicas para relaxar, para estudar, para trabalhar, se exercitar.Tudo isso porque, através da combinação de diferentes acordes e melodias, ela tem a propriedade de nos transportar através de diversas sensações e sentimentos.

Cinco mulheres, uma ao lado da outra, ouvindo múdica nos fones de ouvido.

Mas o que há por trás dessas melodias e acordes que as fazem tão especiais? Sim, são elas, as escalas musicais!

O que é uma escala musical?

Para ficar mais fácil de entender, você lembra quais são as notas musicais? Se você disse “Do-Ré-Mi-Fá-Sol-La-Si”, muito bem, acabou de responder a sequência de notas presentes na escala de Do Maior. Nessa escala, partimos de “Do”,seguimos por uma sequência ordenada de notas, até chegarmos ao próximo “Do” e reiniciarmos esse ciclo. O termo “escala” origina-se do latim “scala”, que significa “escada”. Fica fácil de entender essa analogia, já que a escala musical é uma sequência de notas determinadas que, em sua organização originária, parte dos sons mais graves até os mais agudos. Através dessas notas estruturam-se os acordes e a melodia presentes em uma música.

Quais os tipos de escalas musicais que existem?

Há muitos e muitos séculos que diversas culturas da humanidade organizam sequências de notas, dando origem a diferentes escalas. Existem centenas delas e, cada uma, acaba imprimindo uma sensação à música a qual é utilizada. Ao ouvirmos uma escala, percebemos que os diferentes intervalos gerados entre uma nota e outra, acabam criando diferentes tipos de sonoridades. Vamos conhecer alguns tipos mais utilizados de escalas!

Escalas diatônicas

Atualmente, na cultura ocidental, as escalas que mais encontramos presentes no repertório moderno são variantes da Escala Diatônica, que é uma sequência de intervalos e proporções organizada matematicamente por Pitágoras, ainda na antiga Grécia. Uma escala diatônica possui sete notas, com cinco intervalos de tons e dois semitons. Esse tipo de organização gera um sistema que chamamos de “tonal”, onde cada uma das notas produz uma sensação de tensão ou resolução. Dessa forma, todas as escalas que possuem essas características, são consideradas diatônicas, como por exemplo a Escala Maior (com uma estrutura de 2 tons, 1 semitom, 3 tons e 1 semitom), ou as Escalas Menores (natural, harmônica e melódica).

Escalas pentatônicas

Já ouviu o som de uma escala Pentatônica antes? Então vá até o piano e toque somente as teclas pretas! Essa é a sonoridade! Isso porque as pentatônicas são escalas que possuem 5 notas por oitava e que, em sua origem, não possuem semitons. Elas podem derivar da escala maior ou menor. Por exemplo, em uma escala pentatônica de Do maior, temos “ Do, Ré, Mi, Sol, La”, ou seja, é o mesmo que retirarmos o 4 e o 7 graus de uma escala maior. Já numa escala pentatônica de Lá menor, temos “La, Do, Ré, Mi, Sol”, ou seja, retiramos o 2 e o 6 graus de uma escala menor. Você encontrará bastante essa escala no repertório de Blues, Soul, R&B e Pop.

Escala cromática

Diferente das escalas diatônicas, a escala cromática não fornece sensações de tensão e resolução, pois é inteira formada por semitons. Ela possui 12 notas (as sete notas da escala diatônica acrescida de 5 tons intermediários), e também pode ser chamada de escala artificial, pois surgiu através do estudo de frequências no séc XVIII. Vários estilos musicais, do erudito aos gêneros modernos, aproveitam o efeito causado pela utilização da escala cromática, seja como elemento expressivo, fazendo transições de frases ou até adiando a resolução melódica de um trecho.

Escalas exóticas

Diferentes das escalas anteriores, atribuem uma sonoridade diversa a que estamos acostumados a ouvir na música ocidental. Escala Cigana, Árabe, Hexafônica, Nordestina...elas podem ser escalas provenientes de outras culturas, alterações da escala diatônica ou até mesmo microtonais.

Como usar as escalas?

Existem diversas maneiras de pensarmos no uso das escalas dentro de uma música, seja melodicamente e harmonicamente! Cada uma delas é um mar de possibilidades de composições, solos e improvisos. Quer entender na prática? Para aprender mais sobre o assunto ou aprimorar seus conhecimentos, confira os cursos de escalas musicais da MusicDot: