Mostrar Categorias

Como ler partitura?

Pedro Lopes
Pedro Lopes

A partitura √© uma ferramenta muito importante para qualquer tipo de m√ļsico, desde o iniciante at√© o avan√ßado. Se voc√™ conhece muitas pessoas que tocam um instrumento, voc√™ j√° percebeu que esse assunto ainda √© um tabu no Brasil. Muitos m√ļsicos profissionais n√£o dominam a partitura, o que dir√° os amadores! Isso n√£o impede ningu√©m de fazer m√ļsica, por√©m essas pessoas deixam de ter essa grande ferramenta de comunica√ß√£o musical ao seu dispor.

Dominar a partitura realmente n√£o √© uma tarefa f√°cil, mas n√£o quer dizer que n√£o seja poss√≠vel. Devemos tra√ßar um paralelo com uma l√≠ngua. Ningu√©m aprende uma nova l√≠ngua, sua gram√°tica e escrita, de um dia para o outro. √Č necess√°rio muito treino, persist√™ncia e, claro, uma boa metodologia de ensino. A maior parte das pessoas que desenvolveram bloqueio com a partitura foi porque pecaram no √ļltimo quesito. H√° muitos m√©todos por a√≠, inclusive consagrados, que passam todo o conte√ļdo de uma vez e obrigam o aluno a decorar tudo. Imagina se algu√©m jogasse um dicion√°rio de russo-portugu√™s na sua m√£o e mandasse voc√™ decorar! Simplesmente n√£o funciona! A boa not√≠cia √© que hoje voc√™ conta com m√©todos muito mais legais, como os nossos cursos de teoria da musicDot.

Acho que já deu para você entender que não será apenas lendo esse artigo que você vai aprender como ler uma partitura, mas vou te passar o primeiro passo da leitura, para já sair lendo alguma coisa hoje!

Uma partitura tem, essencialmente, duas grandes informa√ß√Ķes: a nota que deve ser tocada e a dura√ß√£o dessa nota. Vamos focar hoje em como achar a nota que deve ser tocada, ou seja, o que chamamos de ALTURA.

Vamos voltar no básico. Você conhece as notas musicais? A famosa sequência DO RE MI FA SOL LA SI DO? Se quiser saber mais sobre as notas, temos outro artigo aqui. Se você já está familiarizado com esse sequência, é importante fazer um primeiro exercício. Você consegue falar essa sequência ao contrário? Vamos lá: DO SI LA SOL FA MI RE DO.

Foto bonita

E se tentarmos começar a sequência de um lugar diferente, por exemplo da nota SOL? Ficaria SOL LA SI DO RE MI FA SOL, certo? Enfim, é importante você dominar a sequência ascendente e descendente das notas, começando de qualquer lugar. Isso vai ajudar muito na hora de ler uma partitura.

Muito bem, agora o próximo passo é fácil. Uma partitura tradicional possui 5 linhas, mas antes de trabalharmos com elas, vamos pensar em apenas uma linha, pode ser? As notas musicais serão sempre representadas por bolinhas:

Foto bonita

Vamos posicionar algumas notas musicais nas 3 posi√ß√Ķes poss√≠veis em rela√ß√£o a essa linha, conforme o desenho a seguir:

Foto bonita

Você consegue perceber que foi formada uma escadinha de notas? Sempre teremos essas 3 possibilidades de notas em relação a uma linha: abaixo, no meio da linha, e acima. Agora, se aplicarmos a sequência ascendente das notas que conversamos em cima dessas notas, teremos esse resultado:

Foto bonita

Ou seja, se eu souber que a primeira nota é DO, a próxima nota acima na escada tem que ser RE, e a seguir, MI, correto? Ou seja, a partitura só segue a sequência das notas que já conhecemos.

Para ver se você entendeu a lógica por trás disso tudo, se dissermos que a primeira nota é um SOL, qual serão as próximas notas?

Foto bonita

E a√≠, ficou dif√≠cil? N√£o, n√©? √Č uma l√≥gica simples. Para treinarmos ainda mais, agora vou te mostrar uma melodia inteira, com v√°rias notas, e s√≥ vou te dizer que a primeira se chama DO. Voc√™ consegue descobrir quais s√£o as outras notas da sequ√™ncia? Tente sozinho, e eu j√° te dou a resposta logo em seguida.

Foto bonita

Bom, vamos l√°! Logo no in√≠cio temos a subida da escada, passando DO RE MI. Depois, h√° uma descida e da√≠ temos que pensar voltando na sequ√™ncia: RE DO DO. Sim, temos repeti√ß√£o da nota DO ali no meio, certo? Da√≠ vem o maior desafio, o que chamamos de salto. Fica claro que pulamos da nota mais baixa para a mais alta, e isso tamb√©m √© poss√≠vel. Ou seja, as duas √ļltimas notas s√£o MI e RE. O exerc√≠cio inteiro fica: DO RE MI RE DO DO MI RE. E a√≠, acertou?

A lógica vai ser sempre essa, basta seguir a sequência das notas. Faça o teste com o mesmo desenho de partitura, só que começando na nota LA:

Foto bonita

Se você chegou no resultado LA SI DO SI LA LA DO SI, você já sabe ler as notas em uma partitura!

Agora, vamos dar uma olhada em como fica esse sistema de notas da forma mais tradicional, nas 5 linhas, as notas em ordem ascendente e em ordem descendente:

Foto bonita

Ainda não sabemos quem é quem porque eu não te falei qual é o nome de nenhuma nota para você ter de referência, mas podemos brincar com uma sequência de notas qualquer e aplicar a lógica que conversamos em um exercício de 5 linhas:

Foto bonita

Como foi? Muito dif√≠cil? Acredito que pelo caminho que fizemos at√© agora esteja bem tranquilo de ler. Confira o resultado do exerc√≠cio e veja se ficou alguma d√ļvida:

Foto bonita

Acho que ficou bem claro que essa leitura que estamos fazendo √© uma leitura RELATIVA. A gente parte de um ponto fixo para saber todas as outras notas em refer√™ncia √† esse ponto. Bom, voc√™ deve estar pensando que esse formato n√£o √© muito pr√°tico, porque tenho que ficar dizendo a nota de refer√™ncia sempre. Algu√©m tamb√©m achou isso h√° muito tempo atr√°s, e decidiram que facilitaria fixar um ponto de refer√™ncia para que, al√©m de ler de forma relativa, vendo o caminho da melodia, a gente tamb√©m pudesse decorar algumas posi√ß√Ķes de notas. Se fixamos que naquele ponto ser√° sempre uma nota X, passamos a fazer a leitura ABSOLUTA.

Para isso surgiram as CLAVES, sendo que a mais usada para leitura de partitura na maioria dos instrumentos é a CLAVE DE SOL. Você com certeza já viu esse símbolo em algum lugar:

Foto bonita

A Clave de Sol justamente fixa para nós a posição da nota SOL. Logo, todas as outras notas também passam a ser sempre no mesmo lugar. A gente coloca sempre a clave no começo de uma linha de partitura, para ficar claro que estamos usando a mesma referência.

Na próxima imagem, você verá a clave de Sol posicionada no pentagrama (nome que damos ao conjunto de 5 linhas) com mais uma informação interessante, a numeração que usamos para identificar as linhas e os espaços entre essas linhas. A contagem é sempre feita de baixo para cima, e a gente vai se acostumar a falar sobre a nota que está na "primeira linha", ou no "terceiro espaço", etc

Foto bonita

Para finalizar esse trecho, chegamos ao ponto alto do artigo! A Clave de Sol determina para nós que a nota que está na segunda linha seja sempre um SOL. E claro, se fixarmos que o SOL será sempre na segunda linha do pentagrama, o LA será sempre no segundo espaço, o SI na terceira linha e assim por diante, conforme a figura abaixo:

Foto bonita

Como falamos antes, essa leitura absoluta ajuda muito tamb√©m, porque come√ßamos a decorar onde as notas ficam. Se juntarmos as notas que sabemos de cor com a leitura relativa que vimos no come√ßo do artigo (ou seja, a leitura pelo "movimento da escadinha"), a gente consegue ler muito mais r√°pido!!! E nessa imagem eu deixo a dica das 4 notas que eu acho legais voc√™ j√° decorar, que seriam as posi√ß√Ķes das notas SOL e DO em duas oitavas. √Ä partir dessas 4 notas, usando a leitura relativa, voc√™ estar√° lendo qualquer coisa!

Voc√™ pode ter estranhado tamb√©m a posi√ß√£o do √ļltimo DO da imagem, com um tracinho. Sim, a partitura tem algumas coisas interessantes. Uma delas √© que convencionamos o uso de 5 linhas para facilitar a leitura, por√©m, o pentagrama n√£o d√° conta de mostrar todas as notas de um instrumento. H√° notas que extrapolam as cinco linhas e precisam ser escritas. Para isso, usamos as linhas suplementares. Pense da seguinte forma: existem linhas infinitas para cima e para baixo do pentagrama, e podemos escrever qualquer nota acima ou abaixo do pentagrama. Mas, ao inv√©s de desenhar a linha toda, a gente faz s√≥ um pedacinho da linha para a nota que precisamos destacar, para continuar usando o pentagrama como refer√™ncia. Veja se fica mais claro na imagem:

Foto bonita

Ufa, agora voc√™ j√° sabe ler muito bem uma partitura, pelo menos no que diz respeito √†s alturas das notas. Tem um √ļltimo detalhe r√°pido que eu acho legal voc√™ saber. Se voc√™ j√° conhece todas as notas musicais, sabe que existem os acidentes, os famosos sustenidos e bem√≥is. Como ser√° que eles aparecem na partitura?

Para saber isso, é importante saber que NÃO há espaços ou linhas dedicados somente aos acidentes. Da mesma forma como um DO# compartilha o nome DO com a nota DO natural, na partitura o DO# vai aparecer no mesmo lugar que o DO natural. A gente só vai acrescentar o símbolo do # do lado da nota, só que antes da nota, como se fosse um #DO. O mesmo vale para o bemol. Quando escrevemos um acidente assim, chamamos de acidente ocorrente, aquele que acontece no meio da partitura:

Foto bonita

H√° ainda uma forma de trabalhar com acidentes fixos. Imagine que durante toda uma m√ļsica a nota FA seja sustenida, por conta da tonalidade. Melhor do que a gente escrever o s√≠mbolo # do lado de todas as notas FA que aparecerem, a gente pode colocar somente um sustenido no in√≠cio da partitura que indica que todas as notas FA ser√£o sustenidas. √Č o que chamamos de ARMADURA DE CLAVE. Veja os exemplos a seguir:

Foto bonita
Foto bonita
Foto bonita

Essa questão da armadura de clave é um pouco complexa, mas você vai dominar esse e outros conceitos com facilidade no nosso curso de partitura

Lá também você vai saber sobre como ler os ritmos da partitura, que é um estudo à parte! Espero que você tenha gostado desse artigo, e que através dele você queira conhecer ainda mais desse universo maravilhoso!